terça-feira, 28 de setembro de 2010

Sobre o Nxzete

Acho que algumas coisas precisam ser esclarecidas:

* Quando e porquê: Esse 'rótulo' existe, no mínimo, á uns quatro anos, que foi exatamente quando eu me viciei em Nx Zero . Ele surgiu porque eu era a que mais gostava de Nx Zero, tanto na escola quanto na roda de amigos então, quando alguém se referia á mim, era fácil lembrar 'ah, é a Má que curte Nx, a Nx Zete!'. Eu preservei essa identificação até hoje porque gosto, acho fofo! E se fosse algo que eu não curtisse, me ofenderia, claro, mas eu amava Nx Zero naquela época com todas as minhas forças então isso era um elogio!
* Tiete: Não, eu não sou mais tiete. Confesso que fui sim, mas cara, o que você fazia á 4 anos atrás? Quem era VOCÊ á 4 anos atrás? Aposto que não era o que é hoje. E assim aconteceu comigo. Continuo amando todas as músicas e indo a shows sempre que posso, mas não vivo mais em função deles. Vivo em minha própria função.
* Personalidade: Se tem uma coisa que algumas pessoas precisam entender é que estilo não muda caráter e muito menos personalidade. Não é o que eu gosto ou deixo de gostar que vai fazer quem eu sou. Portanto, antes de julgarem pelo o que acham que é, procurem conhecer antes. Aposto que surpresas aparecerão e conceitos serão revidos.

Don't judge a book by its cover.

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Mudanças são necessárias


Se tem um assunto que fez o meu ano de 2010 virar de ponta cabeça, esse assunto foi 'mudanças'! Tudo começou no final de 2009, quando a ideia de mudar de apartamento surgiu e eu mal consigo me lembrar o exato momento em que a decisão foi tomada. 2010 chegou prometendo renovar tudo, como se cada coisa vivida até ali começasse do zero. A primeira mudança radical foi a minha transferência de escola, tive que mudar para uma mais perto de onde eu iria morar. Eu ainda morava no antigo apartamento então foi um grande perrengue! Não maior do que encarar de frente a nova escola.
Lembro como se fosse ontem do primeiro dia de aula, eu estava morrendo de medo. Era uma manhã chuvosa, todos esperavam o portão abrir e algumas meninas cochichavam olhando para mim. Senti vontade de sair correndo e ir embora pra casa, claro! Mas me manti firme. 'Como se faz amizades mesmo?' era uma pergunta que martelava a minha cabeça. Não me lembro de ter entrado em um lugar estranho completamente sozinha desde que eu tinha os meus 6 anos, na primeira série. O pior foi esperar a porta da sala abrir, e ter que assistir ao reencontro de todos. Amigas e amigos se abraçavam como se tivessem ficado dez mil anos longe... E eu ali, com aquele nó gigantesco na garganta, me perguntando como seria se eu continuasse com as minhas amigas, na minha escola, no meu espaço. Depois de um tempo consegui fazer novas amizades, reencontrei velhos colegas e todo aquele medo passou. Hoje só tenho á agradecer por ter conhecido pessoas tão bacanas!
A segunda grande mudança veio no mês seguinte e foi a troca de casa. O choque não foi tão grande nessa porque no outro condomínio eu já não ficava mais lá em baixo com a galera, aliás ninguém mais tinha tempo de ficar lá fora jogando papo pro ar. Isso não me impediu de morrer de saudade de tudo, inclusive das crianças que gritavam feito loucas na minha janela, dos porteiros que acabavam com a minha paciência, dos lugares que eu passei os melhores momentos da minha infância...
Já a terceira mudança foi mais radical, não demorou tanto pra vir mas quando chegou, veio como um furacão onde eu realmente cheguei á pensar em desistir de tudo, inclusive do que a gente chama de vida (e quem quiser, pode conferir isso nos meus antigos posts!). Foi o fim de um namoro de oito meses. Quando o fato aconteceu, me senti a pior pessoa do mundo com direito até a achar que eu seria incapaz de acreditar no amor verdadeiro novamente. Isso porque eu confio demais em tudo o que vivo e quando algo não sai 'pra sempre' como o planejado, o mundo desmorona. Foram meses até a superação se tornar completa mas hoje posso afirmar com todas as letras que o que passou, ficou lá atrás! O meu único arrependimento foi ter perdido tanto tempo acreditando no que 'poderia' ser ao invés de encarar logo a realidade e ver que, mesmo com todas aquelas esperanças, nada teria mais jeito. Mas a vida está aí pra isso, não é mesmo? E se eu tivesse que viver tudo de novo, não mudaria nada por foi nos erros que eu aprendi as maiores lições da minha vida.
A atual mudança é que eu comecei a namorar de novo! Um novo ciclo começou, com uma nova história, um novo personagem, um novo roteiro e apenas um sentimento antigo: o amor. Pode até parecer tolice mas mesmo quebrando a cara no relacionamento anterior, cá estou eu, me jogando de cabeça de novo!
É assim que a vida faz! Só expus aqui todas as minhas 'lutas' (ou quase todas!) para mostrar que mesmo com todas as dificuldades do mundo, é possível dar a volta por cima. E pode vir a pior tempestade de todas... Quando ela acabar, o arco-íris aparecerá e o sol irá brilhar, sorrindo como nunca! Para isso, temos que ter pensamento forte e dar uma mãozinha para que a chuva acaba logo. O resto só o tempo poderá resolver, e em alguns casos, cicatrizar. Mas pra quem tem foco e um amor amor gigantesco pela vida, qualquer impecílio não passa de uma poeirinha que logo logo será levada pelo vento.

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Mooooorning!


Quer saber de uma coisa que eu morria vontade de fazer antes, mas não fazia por pura vergonha, e hoje faço com gosto? Dou bom dia! Sempre quis andar nas ruas, logo pela manhã, na hora de ir pra escola mesmo, e dizer 'bom dia' á qualquer um que passar perto de mim. Mas a timidez impedia que isso acontecesse, ou até mesmo a pressa e a cara fechada das pessoas. Mesmo assim, não me importo mais com esses pequenos detalhes. Dizem que quando a gente deseja algo á alguém, tudo volta em dobro pra gente, não é mesmo? Pois então, qual é o valor de desejar um Bom Dia? Por mais que a pessoa esteja estressada, preocupada, apressada.. Aquele rápido e sincero 'bom dia' fará toda diferença!
Como todos os dias vejo sempre as mesmas pessoas nas suas rotinas, já tenho meus colegas! É um senhorzinho que faz caminhada com um óculos escuro super antigo, um homem que deve ser pai de família, uma mulher com cara de estressada, uma mamãe que leva a filhinha na creche... E isso é tão legal! Eu não sei nem o nome destas pessoas, mas isso não impede que nós possamos trocar sorrisos logo quando o dia acorda.
Portanto, essa é a dica! Não deixe de fazer algo por timidez... Quem estará perdendo é você!

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Azul


O céu é sempre lindo assim? Essas nuvens, esse azul... Me parece tão intenso hoje. E esses olhos dele? Esse céu azul, esses olhos azuis, essa blusa azul... Nunca gostei tanto dessa cor. Ah, e esse sorriso lindo, que parece brilhar mais a cada segundo que passa? Meu Deus, me dê resistência. A minha maior vontade agora é de me perder nesses braços. Por mim, viveria neles. Ah, e a força desse abraço de urso... Me faz suspirar, e eu até me esqueço de respirar. Calma, não posso me perder, sou forte! Acredito que sou mais for... Não me olhe assim, por favor! Em seus olhos existe uma coisa que eu ainda não sei definir, capaz de apagar todo e qualquer pensamento da minha cabeça... E se eu me perder mais, posso até voar. Mas pra quê voar se um anjo está aqui, logo aqui, na minha frente? É, não tenho motivos. Tenho um anjo, um céu, e um par de olhos azuis que mais parecem pedras preciosas do que qualquer outra coisa.

terça-feira, 7 de setembro de 2010

If I were a boy


Se eu fosse um garoto, jamais faria alguma menina derramar uma lágrima por mim. Escolheria alguém para chamar de minha, e faria de tudo para que ela se sentisse a garota mais feliz do mundo. Não seria tão grudento, á ponto de fazê-la enjoar de mim, e nem tão desligado, á ponto de fazê-la esquecer de mim. Mandaria mensagens de boa noite todos os dias, daria bombons surpresas, e roubaria selinhos quando ela menos esperasse. Abraçaria-a intensamente, como se fosse a última vez que pudesse vê-la. Escreveria bilhetes e colocaria escondido em sua bolsa, para que ela lembrasse de mim nas horas mais inusitadas. Cuidaria-a como se fosse de vidro e pudesse quebrar á qualquer momento. Pegaria em sua cintura quando passasse rapazes descarados, e mostraria que ali era tudo meu. Diria que ela está linda mesmo quando seu cabelo estivesse todo bagunçado. Apoiaria minha mão delicadamente em seu rosto suave de menina, e falaria como era bom passar cada minuto ao seu lado. Faria de tudo para vê-la sempre sorrir, mesmo dizendo apenas bobagens.
Lembraria o quanto a amo, várias vezes. ♥

Fanatismo


Podem chamar de louca, boba, infantil, sem-noção, doente, maluca, idiota, não importa! Amor de fã é amor de fã e isso nenhuma crítica pode abalar. Vejo menininhas de 14 anos votando loucamente para deixar seus ídolos sempre lá, no topo de tudo. Topo de prêmios, topo de visitas em programas de TV, topo nas rádios. E, sinceramente, eu sei exatamente o que é esse fanatismo. Hoje em dia não sou tão fanática mais, á ponto de deixar de comer e dormir para cuidar da minha banda preferida mas, acreditem, eu já fui assim! Daquelas que participam de todas as promoções existentes, choram inconsolavelmente ao vê-los em qualquer lugar, sabem da vida de cada um de cor e salteado... É, tudo tem sua fase. Mas e todo aquele amor eterno e doente? Passou? Claro que não! Ele ainda existe, só que está muito bem guardado aqui, do lado esquerdo, justamente onde fica o coração. A única diferença agora é que toda aquela fervência simplesmente passou. As fãs vão ter raiva do que eu vou escrever, mas é a realidade, um dia a poeira baixa. Não digo que o amor acaba, longe disso! Só digo que toda aquela intensidade acalma. Por isso, aproveitem cada minuto dessa vida louca de tiete! Cada grito, cada cartaz, cada lágrima, cada sorriso, cada gesto, tudo tudo tudo! Estas serão as suas melhores memórias da adolescência.
Sobre o que eu sinto em relação ao Nx Zero, eu continuo amando cada um desses meninos incondicionalmente, como irmãos, como grandes ídolos. Para mim, eles sempre serão os melhores e eu sempre vou torcer e comemorar cada passo da banda.
Minha banda favorita.

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Uma nova bateria


Tenho uma necessidade incomum. É como se eu fosse uma máquina; uma máquina humana, e tivesse que recarregar a bateria de vez em quando. E o único carregador forte, capaz de destruir qualquer pensamento negativo e me deixar leve é a praia. Olhar para aquela imensidão de água, sentir aquela brisa, pisar na areia e sentir cada partícula é realmente uma coisa sem preço. E eu acho que está na hora de recarregar a minha bateria. Não aconteceu nada de estressante e eu nem fiz muitas coisas, mas ah, me sinto tão cansada e estressada. Sinto que estou esgotada, preciso ficar sozinha, preciso sentir aquela suavidade tocando minha pele. A cada hora que passa, mentalizo 'aguenta firme, está chegando!' mas isso é tão difícil! Acordar ás 6hrs da matina, ter os mesmos professores, as mesmas paredes, as mesmas cadeiras, os mesmos horários, nossa, isso é tão desgastante! É ... Preciso recarregar essa bateria LOGO.

Longe de toda negatividade,
a onde boa se propaga no ar! ♪