segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Mudanças são necessárias


Se tem um assunto que fez o meu ano de 2010 virar de ponta cabeça, esse assunto foi 'mudanças'! Tudo começou no final de 2009, quando a ideia de mudar de apartamento surgiu e eu mal consigo me lembrar o exato momento em que a decisão foi tomada. 2010 chegou prometendo renovar tudo, como se cada coisa vivida até ali começasse do zero. A primeira mudança radical foi a minha transferência de escola, tive que mudar para uma mais perto de onde eu iria morar. Eu ainda morava no antigo apartamento então foi um grande perrengue! Não maior do que encarar de frente a nova escola.
Lembro como se fosse ontem do primeiro dia de aula, eu estava morrendo de medo. Era uma manhã chuvosa, todos esperavam o portão abrir e algumas meninas cochichavam olhando para mim. Senti vontade de sair correndo e ir embora pra casa, claro! Mas me manti firme. 'Como se faz amizades mesmo?' era uma pergunta que martelava a minha cabeça. Não me lembro de ter entrado em um lugar estranho completamente sozinha desde que eu tinha os meus 6 anos, na primeira série. O pior foi esperar a porta da sala abrir, e ter que assistir ao reencontro de todos. Amigas e amigos se abraçavam como se tivessem ficado dez mil anos longe... E eu ali, com aquele nó gigantesco na garganta, me perguntando como seria se eu continuasse com as minhas amigas, na minha escola, no meu espaço. Depois de um tempo consegui fazer novas amizades, reencontrei velhos colegas e todo aquele medo passou. Hoje só tenho á agradecer por ter conhecido pessoas tão bacanas!
A segunda grande mudança veio no mês seguinte e foi a troca de casa. O choque não foi tão grande nessa porque no outro condomínio eu já não ficava mais lá em baixo com a galera, aliás ninguém mais tinha tempo de ficar lá fora jogando papo pro ar. Isso não me impediu de morrer de saudade de tudo, inclusive das crianças que gritavam feito loucas na minha janela, dos porteiros que acabavam com a minha paciência, dos lugares que eu passei os melhores momentos da minha infância...
Já a terceira mudança foi mais radical, não demorou tanto pra vir mas quando chegou, veio como um furacão onde eu realmente cheguei á pensar em desistir de tudo, inclusive do que a gente chama de vida (e quem quiser, pode conferir isso nos meus antigos posts!). Foi o fim de um namoro de oito meses. Quando o fato aconteceu, me senti a pior pessoa do mundo com direito até a achar que eu seria incapaz de acreditar no amor verdadeiro novamente. Isso porque eu confio demais em tudo o que vivo e quando algo não sai 'pra sempre' como o planejado, o mundo desmorona. Foram meses até a superação se tornar completa mas hoje posso afirmar com todas as letras que o que passou, ficou lá atrás! O meu único arrependimento foi ter perdido tanto tempo acreditando no que 'poderia' ser ao invés de encarar logo a realidade e ver que, mesmo com todas aquelas esperanças, nada teria mais jeito. Mas a vida está aí pra isso, não é mesmo? E se eu tivesse que viver tudo de novo, não mudaria nada por foi nos erros que eu aprendi as maiores lições da minha vida.
A atual mudança é que eu comecei a namorar de novo! Um novo ciclo começou, com uma nova história, um novo personagem, um novo roteiro e apenas um sentimento antigo: o amor. Pode até parecer tolice mas mesmo quebrando a cara no relacionamento anterior, cá estou eu, me jogando de cabeça de novo!
É assim que a vida faz! Só expus aqui todas as minhas 'lutas' (ou quase todas!) para mostrar que mesmo com todas as dificuldades do mundo, é possível dar a volta por cima. E pode vir a pior tempestade de todas... Quando ela acabar, o arco-íris aparecerá e o sol irá brilhar, sorrindo como nunca! Para isso, temos que ter pensamento forte e dar uma mãozinha para que a chuva acaba logo. O resto só o tempo poderá resolver, e em alguns casos, cicatrizar. Mas pra quem tem foco e um amor amor gigantesco pela vida, qualquer impecílio não passa de uma poeirinha que logo logo será levada pelo vento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou? Deixe um comentário!