segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Perdas

Nunca soube lidar com perdas. Morte, namorados, objetos, promoções, nada. Exagerada como sempre, acho que é o fim do mundo e nunca mais vou conseguir ter aquilo de volta. No caso da morte, apesar do exagero, estou certa. A única perda forte que eu já tive pra ela foi a minha avó, que se eu pudesse, traria agora pra ficar aqui comigo. Mesmo em silêncio, só jogando dominó como costumávamos fazer. Resgataria-a antes da doença maldita, com a imagem de saudável ainda. E meus livros, tão queridos que eu emprestei e nunca mais vi a cor. Pegaria todos de volta e leria-os mil vezes, até decorar cada verso. Já com os namorados/rolos, faria diferente. Não pegaria-os de volta como a maioria das coisas. Diria o que senti um dia por cada um, e como eu desejo a felicidade eterna do fundo do meu coração.
Dizem que com o tempo a gente aprende tudo né? Não sei se comigo será assim, acho que perdas sempre serão perdas e vou sofrer tudo o que eu tiver direito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou? Deixe um comentário!