segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Velhos de dezessete


Todo mundo insatisfeito com tudo. Uns reclamam de tédio, outros de solidão, e também dessa vida. Vida de estudar, trabalhar, fazer o que for. Sabe o que eu realmente acho? Que o mundo fabrica pessoas vazias. Com o avanço de tudo, com a tecnologia e a ciência dando tudo na boca, ninguém mais precisa mastigar as coisas pra ver como o sabor delas é bom. Ninguém aprecia mais o amanhecer e muito menos as estrelas, tão lindas de se ver. Reclamar é fácil, claro, mas por que não encarar as coisas de um outro ponto de vista? Por quê essa mania de achar que tudo é uma droga persiste tanto na gente? Cada dia mais as coisas fogem do controle. E não há mais o que fazer, a não ser esperar que o mundo acabe com pessoas loucas e suicídios. Como já dizia Lúcia Veríssimo, a sociedade hoje produz jovens anestesiados. Cadê aquela vida, cadê aquela vontade de conquistas? E aquelas revoltas, caras pintadas, onde foi parar tudo isso? Eu respondo: Está sumindo igual os animais em extinção, as florestas... Está evaporando como a vida da gente! Nada mais é novidade, ninguém mais quer ser diferente. Todos seguem o mesmo padrão e isso é ruim, ACORDEM! Personalidade e opinião própria são características admiráveis nesses dias. E quando alguém surge com alguma idéia inovadora, é motivo de piadinhas e tachado como ricídulo. Está na hora de abrir a cabeça, reclamar menos e agir mais. Não queremos velhos de 17 anos de idade, certo? 




CARPE DIEM! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou? Deixe um comentário!