quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Forever and Always

Tumblr_ltp4bgrdy61qcqs7co1_400_large

Não sei por qual motivo essa foto conseguiu me prender tanto. Talvez tenha sido as tatuagens do braço do garoto... Ou as luzes do cabelo dela... Até mesmo esse vestido branco, que me faz lembrar de casamento. Não sei. Só sei que fiquei presa nela algum tempo tentando imaginar como seria se nada fosse como é hoje. Se eu não tivesse o conhecido, se ele não tivesse caído exatamente na minha sala, se nós não nos aproximássemos... Como seria? Pensei, pensei... Nada. Nenhuma resposta. Isso porquê não existe resposta. Era pra ser assim, desde o início, até quando mal sabíamos que iríamos existir, o destino já estava traçado. Ele seria meu, eu seria sua. E assim é, e será daqui pra frente e pra sempre. Podem vir discussões, atritos, o que for! Estamos preparados pra isso. Até porque, depois de um certo tempo junto, aquele amor do começo aumenta. Antes dava pra imaginar "E se acabar algum dia, o que eu faço?". Hoje, não. Hoje o pensamento é " Não vai acabar, nunca". O amor se transforma e não quer só beijos e amassos. Ele vai além disso. Assim cresce o companheirismo, a amizade, a preocupação e principalmente a intimidade. Enfim... só queria dizer isso. Que estou aqui, pra sempre.

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Dia das Crianças

Tumblr_lfyglqujsr1qgil3lo1_400_largeApesar de ter sido o Dia das Crianças, hoje estou afim de fazer um post para pessoas que não tem uma criança dentro de si, até porque eu acho que se fizesse sobre as crianças em si, estaria me contradizendo. Lugar de criança é na rua, brincando de correr, esconde-esconde, pega-pega... 
É impressionante como, cada vez mais, me deparo com comentários do tipo: "Nossa, que infantil!". Principalmente nessa recente brincadeirinha do facebook, em que cada um colocava a foto de um personagem de desenho marcante da infância em homenagem ao Dia das Crianças. O que eu vi de comentários reclamando sobre 'a infantilidade' das pessoas, nossa, nem tem o que comentar. Agora eu te pergunto: Qual é a perspectiva de ânimo de uma pessoa que, já com dezessete anos, acredita que é tolice relembrar do passado e liberar o lado 'criança' de vez em quando?
Eu realmente espero que o futuro possa ser diferente, com adultos menos centrados e mais divertidos.