quarta-feira, 27 de março de 2013

Papo Fitness

Aquela cilada. Você se preocupando em manter a saúde e ficar bem consigo mesma, enquanto no alfabeto de assuntos, as palavras são apenas suplementos, vitaminas e um resto de auto-confiança empacotada. Ê mundinho de academia! 
Seria hipocrisia dizer que a estética não é um dos objetivos de quem malha, pois além de ser, é o principal. Sim, até de pessoas que estão lá apenas para manter a saúde! E não adianta brincar de ser o Sr Desencanado Que Gosta de Suar à Toa e Não Esperar Nenhum Resultado Depois De Um Treino De Uma Hora. Aposto que no primeiro espelho que passar, vai olhar.
601954_272840026182774_198643700_n_largeMas enfim, não vim falar de academia e nem criticar quem faz, pois se fosse ruim eu também não faria. A questão aqui é algo interessante que venho notando de uns tempos pra cá e senti vontade de compartilhar o raciocínio. Se eu te dissesse que é possível descobrir a personalidade de uma pessoa através do modo em que ela se comporta durante um treino, o que você me diz? 
Segue os exemplos: Tem sempre aquele cara que vai com garra, cara de mau, coloca mil quilos para levantar e quando vai fazer o exercício, faz errado, daquele jeito mais fácil que a gente sabe que está errado mas quer fingir que aguenta. O que me diz? Na certa, este cara é preocupado com o status, pois quer mostrar quem manda. Fora que está se auto-enganando porque aquele músculo todo que ele vem desfilando na regata ultra-mega-cavada é nada mais que líquido retido. 
E aquela moça, bonita até, corpão violão, que chega na academia com o cabelo escovado, perfumada, maquiada e pronta pra uma festa? Sim, exatamente, pronta para uma festa. Apenas. Outra que engana a si, pagando mensalmente um valor que vai para o seu próprio ego, ao invés de se amar sem precisar chamar a atenção de todos. 
Portanto, ouça: A sociedade pouco se importa com o que você é ou deixa de ser. Na verdade, ela espera que você seja o que realmente sempre quis ser, sem que tenha que provar algo, seja pra alguém, ou alguma coisa. Não se reprima!

domingo, 24 de março de 2013

Reticências


Pelo visto, tudo está bem. Finalmente. Após a enxurrada de pontos final, dá pra ver nitidamente que desta vez haverá reticências... Não se sabe até quando ou onde chegará, mas com certeza ainda tem muita história pela frente. É um novo recomeço, uma nova inspiração pra vida.
Tantas vezes foi preciso dizer aos outros, aqueles outros que não sabiam o que tinha em mãos, o que era preciso ser dito, ou como se comportar e até mesmo das surpresas... Surpresa que é dita, não é surpresa. Há também memórias de um futuro que nunca existiu, e poderia até ter existido, porém não mais feliz do que o futuro atual, que é possível de ver até no próprio presente. Os planos, ah! Tantos planos, retalhados, remendados, com o receio de ambos os lados... O medo de deixar aquele sentimento de porcelana, tão delicado e raro de ser visto a olhos nu, cair no chão e se espatifar novamente. 
Voltemos às reticências, onde cada pontinho está sendo construído com delicadeza e cautela. Tudo bem pensado, mas não planejado. Planos, só pro futuro. O que está acontecendo agora é como a alegria, que a gente deixa viver, deixa ficar, deixa estar como está. 
E se eu estou feliz? Claro, muito. Até o moço da banca de jornal em frente ao meu trabalho consegue ver no meu sorriso a nova esperança do amor que eu encontrei pra mim.

sexta-feira, 8 de março de 2013

O novo


E então, o mundo a vira do avesso, a transforma novamente, a molda, a adapta, reconstitui cada pedacinho que faltava dentro dela e a faz novamente sentir os mesmos sentimentos. Engraçado.. Da última vez ouvi alguém dizer que jamais sentiria tudo isso de novo, ou pelo menos, aguardaria um bom tempo antes de dar uma nova chance pra si. E lá vai ela, se entregando, com band-aids e cicatrizes. Os mesmos desejos, anseios, medos... Tudo blá blá blá!
Tumblr_mjau9e8inq1s6lv6po2_500_largeDesta vez o personagem é diferente, nunca viu igual. Pra ela, pensamento positivo, foco no 'Desta vez vai dar certo!', e esperança que inspira. Tudo bem, pode acontecer tudo de novo, inclusive a parte das lágrimas, das músicas preferidas que foram pro fundo do armário, das coisas que lembram o passado, da vida que deixou pra trás. E que poderá deixar de novo, nunca se sabe!
Mas há uma coisinha, lá no fundo, que ainda a move. Um sentimento velho, e ao mesmo tempo, novo. Pequenino, mas tão forte. Aquele controle emocional que já faz parte dela, sem ela, ao menos, sequer ter a chance de escolher se quer isso para si de novo. Acontece... Simplesmente, acontece!