quarta-feira, 18 de junho de 2014

Reconhecimento é Caráter

Qual é o significado de assustar para você? Uma coisa muito feia? Ou algo realmente horripilante?

É nessa questão que eu levanto uma notícia que saiu na mídia na última Segunda-feira (16), a respeito de uma garotinha linda de três anos que foi expulsa de um restaurante nos Estados Unidos por assustar os clientes. Isso porque ela tem uma cicatriz no rosto, devido a um ataque de um cachorro Pit Bul, que também a fez perder um dos olhos por conta do incidente. 

(Foto: Reprodução / Facebook)

O restaurante, claro, já tirou o dele da reta dizendo que jamais faltariam com o respeito a algum cliente. Acontece que essa atitude não é nem questão de respeito, é questão de humanidade. Caráter. Se uma pessoa tem alguma deformidade facial, não cabe a ninguém excluí-la ou não de algum ambiente, afinal ninguém sabe o que ela passou para carregar marcas na pele. 

É aí que voltamos no mesmo ponto, a estaca zero da humanidade: Ser diferente... É normal? Até aonde aceitamos as diferenças e convivemos numa boa? Cabe a cada um avaliar seu interior e se auto-julgar no intuito de perceber se anda falhando nesse aspecto, mesmo que seja um olhar diferente e se auto-educar. Vai de pessoa para pessoa, caráter para caráter. Na situação da garotinha, quem deve se posicionar diante da situação e pedir perdão à família não é a assessoria de imprensa ou a equipe de marketing que tampouco estão preocupados com a vestimenta humilhante da família; Eles cuidam da imagem da empresa e o quanto isso poderá prejudicar nos lucros. Quem deve se manifestar é o sujeito que agiu da forma errada. Ele sim terá peso na consciência durante sua conversa com o travesseiro. 

Reconhecer o que fazemos de errado e lutar para consertar não é errado, nem feio. 
Errado é perceber a atitude repugnante e cruzar os braços. 
Afinal, de braços cruzados nesse mundo... Já estamos fartos! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou? Deixe um comentário!