quarta-feira, 30 de março de 2016

Aleatório

Foto: Tumblr
Existe um momento que todo mundo se encontra na vida. No jeito, no estilo, na cabeça. No sentir, no pensar, no contato com o mundo. Essa percepção é um dos momentos mais importantes de nossas vidas, e também o mais difícil de conquistar. Ele chega junto com a maturidade e ela, muitas vezes, nunca chega para algumas pessoas.

Buscar experiências novas é primordial para conquistar essa tal da "liberdade", ou até mesmo o seu "eu". Viagens, gente nova, estudos... Tudo o que colaborar com o seu conhecimento, muito provavelmente vai mudar sua vida aos poucos. É um processo natural de evolução.

Penso o tempo todo no que poderia ter feito e logo lembro que, se eu não tivesse vivido tudo o que eu já vivi, teria outra mente. Eu, por exemplo, era apaixonada por umas mandalas que via espalhada nas paredes da cidade, mas nunca comentava com ninguém. Até que um dia, na van da faculdade de volta pra casa, falei do quanto gostava delas. Uma das meninas conhecia o artista e hoje, sou fã de carteirinha. Mas e se eu nunca tivesse comentado? E se eu deixasse passar?

É libertador ter esse auto-conhecimento. Principalmente em coisas que poderiam te afetar. Se hoje eu vejo alguém falando algo ruim sobre mim, logo penso que a pessoa não deve ter convivido comigo ou é fraca de cabeça mesmo e acredita em tudo o que os outros dizem. 

Sempre quando encontro alguma experiência nova, que de alguma maneira, pode mudar minha vida, alguns "colegas" aparecem para contar uma informação. O job é furada, o cara é galinha, o cidadão é falso. Deixa! Se for, eu vou descobrir. Mas eu preciso fazer isso sozinha.

"Ninguém tem o direito de me julgar a não ser eu mesmo.
Eu me pertenço e de mim faço o que bem entender." 
(Raul Seixas)

terça-feira, 29 de março de 2016

Diário do TCC - Ep. 3 "Grupo de Gestantes"


Existe coisa mais gostosa do que vivenciar o tema que você escolheu para abordar? Para uma jornalista não. Estou anestesiada com tanta informação! Ontem, eu e a Isa (que eu nem preciso mais apresentar aqui, vocês vão ouvir muito sobre ela haha) fomos conhecer o Espaço Mulheres Empoderadas, que coincidentemente fica ao lado da minha casa e nos apaixonamos ainda mais pelo assunto.
Para começar, o espaço é todo decorado com fotografias P&B (cliques feitos pela mestra no assunto Kelly Stein), com cores claras em tons pastéis e almofadas carismáticas no chão, bem aconchegante mesmo. Tiramos as sandálias para entrar e automaticamente, nos sentimos a vontade. 

Foto: Kelly Stein
Fizemos uma roda de conversa, e começamos com as apresentações de todos. "Eu sou fulana e estou de tantas semanas", e "Eu sou ciclana, estou com um pouquinho mais, tantas semanas". Eu juro que se eu tivesse um puxadinho, engravidava hoje, sem pensar duas vezes! Todas aquelas mães dividindo experiências, trocando informações, falando sobre seus medos, suas expectativas... A maternidade, embora relatada por muitas como tarefa difícil, também é mágica e encantadora.
Conhecemos a Gisele Leal, que é doula, dona do Mulheres Empoderadas, sabe TU-DO sobre parto humanizado e também fizemos amizade com a Rubi, outra doula. Fiquei abismada com a quantidade de informações (graças à nossa revisão bibliográfica, tudo o que pesquisamos se encaixou, rsrs!) e de sabedoria. Elas têm muito o que ensinar e desconstruir em nossa sociedade ultrapassada.

Não vejo a hora de conhecer mais profissionais e mamães envolvidas nesse movimento!

Dica do dia: Viva seu tema! Visite grupos sobre o assunto, coloque-se na pele das pessoas envolvidas... Entenda muito mais do que a teoria: Entenda o sentimento!


Foto: Rubi Naves

terça-feira, 15 de março de 2016

Diário do TCC - Ep. 2 "O Produto"

Cena do documentário "O Renascimento do Parto" que retrata a grave realidade obstétrica mundial e brasileira

Escolhemos o tema, a parceria, observamos a relevância para a sociedade e agora? É só escolher o produto. Muitas vezes nós entramos na faculdade com uma ideia fixa e achamos que será ela-apenasela-nadamaisqueela até o final.... Não será! Ao longo dos anos, a gente amadurece e percebe que existem outros interesses.

"Eu, por exemplo, sempre fui alucinada na história dos judeus que sofreram com o nazismo. Sempre tive o sonho de sentar com algum sobrevivente e falar "Me conta... Tudo", descobrir a real sensação de ter vivido todo aquele terror da boca de alguém, me emocionar com o depoimento e mostrar a outras pessoas. Mas como? Eu conheço algum sobrevivente? Eu teria condição de ir atrás de alguém? Não... Então o buraco é mais embaixo."

Após a escolha do tema, é a hora de decidir o produto. Documentário, livro-reportagem, monografia, livro de fotojornalismo, multimídia... Existem vária opções, é só se adequar. Se o seu tema utiliza áudio (ex: história do rádio), não seria interessante um produto multimídia ou documentário? E se ele conta histórias, com riqueza de detalhes (ex: algum fato histórico), que tal um livro-reportagem? Ainda se eu quero mostrar, através do olhar das pessoas, a pobreza de um lugar ou diferença social (ex:cracolândia), poderia ser fotojornalismo? O critério é de cada um, basta aproveitar os recursos que você tem.

"No caso do parto humanizado, não restou dúvidas na escolha do produto: Tem que ser documentário! Um livro, ou melhor, um blog seria interessante para acrescentar conhecimento, até porque não vamos conseguir mostrar todas as nossas descobertas (muito interessantes, por sinal) em um vídeo de 15 minutos, mas imagina o depoimento das mães? Imagina o choro de um bebê nascendo? Chega a arrepiar de ansiedade!"

A dica de hoje é essa: Descubra o valor do seu tema e dê à ele a chance de se exibir por aí. O resultado será melhor do que o esperado, pode ter certeza!

quarta-feira, 9 de março de 2016

Diário do TCC - Ep. 1 "O Tema"

Fonte: Google Imagens

A gente entra na faculdade pensando "quando chegar o TCC, será aquele Deus-nos-acuda". A preocupação já começa no primeiro ano, mas vamos deixando para depois. Os semestres engolem nossos pensamentos e, em alguns momentos, parece que o último ano nunca vai chegar. Mas chega!

Os professores começam a nos assombrar com o assunto e a principal questão vêm à tona: O tema. Já dizia Confúcio em suas teorias, "escolha um trabalho que gostes, e não terá que trabalhar nem um dia na tua vida". Bem... A dica de escolha do tema é basicamente essa.

1- ESCOLHA UM ASSUNTO QUE VOCÊ AME:
Eu sempre quis ser mãe. Desde pequena, cuidava das minhas bonecas com amor, imaginando quando chegaria o "meu dia". Quando surgiu o pensamento de fazer sobre Parto Humanizado quase pirei! Lembro que eu e a Isa (minha amiga e parceira de TCC) fizemos um briefing durante uma tarde de férias, pela internet mesmo, pensando em coisas que gostávamos e poderia se encaixar na situação. Foi aí que deu um estalo: É isso! A gente gosta de partos, gosta de bebês, gosta de deixar a vida fluir como ela tem que ser, gosta de deixar as mulheres decidirem por elas mesmas.

2- TENHA UM BOM PARCEIRO:
Mais do que um amigo, o seu parceiro de TCC tem que ser alguém que você confie de olhos fechados, que escreva bem e que tenha paciência com tudo o que vai acontecer. Além disso, a pessoa tem que se apaixonar pelo tema tanto quanto você, para sincronizar a vontade de fazer acontecer. No meu caso, uma pensa e a outra fala (rsrs!). 

3- PREPARE-SE PARA O PLANO B:
Por mais que você se apaixone pelo tema, talvez ele não seja aprovado pelo orientador ou não tenha a relevância que deveria, então é sempre bom ter um plano B. Não se esqueça que existe uma galera pensando sobre a mesma coisa que você, chegue cedo e garanta seu espaço. 

4- SEJA RELEVANTE NA ESCOLHA:
Todo mundo tem histórias para contar. Quando começar o TCC, você vai encontrar uma história interessante em cada esquina. Cabe a você decidir se aquilo é relevante ou não. No caso do jornalismo, existe um compromisso com a sociedade então se aquilo, de um jeito ou de outro, pode mudar a vida de alguém, invista! Senão, esqueça.

5- PLANEJAMENTO É TUDO:
Brasileiro sempre tem mania de deixar pra última hora... Faça com antecedência. As cobranças só tendem a aumentar então se você conseguir adiantar algumas coisas, não vai sofrer tanto com os prazos. Aquele mito de ficar noites sem dormir pode ser revertido se você souber exatamente o momento de agir. Eu e a Isa, por exemplo, aproveitamos o ano anterior ao TCC para ler tudo sobre o assunto e levantar informações. Se você está no primeiro ou segundo ano, comece a pesquisa. Não é ansiedade... É prevenção!

6- BOTA A MÃO NA MASSA: 
Já tem o tema aprovado? Escolheu seu parceiro? Vai ter relevância? Fez um planejamento? Mãos à obra! Geraldo Vandré, nos anos 2000, já adiantou o recado: "Quem sabe faz a hora, não espera acontecer".