quarta-feira, 8 de junho de 2016

Dica de Documentário: O Começo da Vida

Imagem: Google

Ontem tive o privilégio de assistir O Começo da Vida e posso dizer que ele mudou, com palavras e imagens, um pouco da minha vida. Já conhecia a Maria Farinha Filmes e outras produções da Estela Renner, mas minha grande expectativa era esta estreia. Não sei se foi pelo envolvimento do parto humanizado ou pelo trailer que desperta uma vontade incrível de assistir.

O documentário apresenta a capacidade incrível que todas as crianças têm de aprender. Já parou pra pensar que, em 3 anos, uma criança chega ao mundo, e tem a capacidade de falar e andar? É inacreditável! O que você aprende de tão inovador no mesmo período de tempo? Michel Odent, um dos precursores do parto humanizado no mundo, costuma dizer que "Para mudar o mundo, primeiro é preciso mudar a forma de nascer".

Além de entrevistas pelo mundo inteiro, o documentário também traz questões sociais, como educação. Uma criança de classe média aprende cerca de trinta mil palavras a mais do que uma criança que nasceu no subúrbio. A capacidade da criança deve ser intensificada e aproveitada desde o início da vida.

Cena do documentário
Um dos momentos mais emocionantes, na minha opinião, é a entrevista desta mãe. Ela explica que, antes de engravidar, não imaginava que pudesse existir um amor tão grande e depois da maternidade, consegue amar os bebês mais do seus próprios pais. Eu ainda não sou mãe, mas dá pra imaginar um pouco da grandeza deste amor.

Cena do documentário
Toda a sociedade é responsável pela criação das crianças. Temos que enxergá-las, dar ouvidos e mostrar que tudo o que elas dizem é de extrema importância. Com o cansaço e a rotina, às vezes esquecemos de dar a atenção necessária e elas encontram outros meios de atrair olhares, nem sempre positivos.

O Começo da Vida traz declarações de profissionais da Harvard até mães da periferia brasileira. É para assistir com a família e o peito aberto. Para olhar, não só a qualidade das imagens, mas as situações corriqueiras. Para refletir e pôr em prática.

ONDE ASSISTIR?
Em Campinas eu não encontrei nenhum cinema que tenha o documentário em exibição, mas você pode encontrar no Netflix.

SAIBA MAIS!